segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

As descobertas e aprendizados de 2008

Descobri algumas paixões, aprendi novos valores e acima de tudo, desafiei a vida.
Aprendi a calar-me para ouvir.
Descobri que posso aprender com meus erros. Afinal, posso melhorar sempre.
Aprendi que ser é muito mais importante do que ter.
Descobri que posso lutar contra o que não acho justo.
Aprendi a não ter medo do futuro.
Descobri que posso ser forte, pois tudo depende de como a gente se coloca, e das escolhas que fazemos. E são elas que vão determinar onde merecemos estar.
Descobri o quanto quero e posso ser grande, fiel e verdadeiro.
Portanto em 2009, não troque o desafiador pelo obvio.
Acredite em você.
Viva, sinta-se vivo e arrisque-se. Não tenha medo de amar, não tenha medo de ser feliz. Life is short.

Desejo a todos um Feliz Natal e um Ano Novo Próspero.

2009 chegando parte 2

Chegou o final do ano. Faltam poucos dias para 2008 terminar, e junto com o seu final, devemos refletir sobre todas as alegrias, conquistas e erros que conquistamos ou cometemos durante o ano que está chegando ao fim.
É hora de fazer uma limpeza na alma, deixar para trás mágoas e recentimentos. 
É hora de começar um novo ano, uma nova vida. Uma nova vida pautada na felicidade, na alegria, na busca pelo auto-conhecimento.
2008 pra mim foi um ano de muito aprendizado. Espero que em 2009, esse aprendizado continue. Gostaria de deixar no próximo post a mensagem de Natal que escrevi no meu cartão e que nem todos tiveram a oportunidade de ver.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Metas

"Nunca alcançarás uma meta maior do que aquela a que te propusestes".

Ellen G. White

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Perfeição

"Nós somos o que repetidamente fazemos. Excelência, assim, não é um ato, mas um hábito".

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Apenas pense!



Achei no blog da amiga Dani Marques: www.roda-gigante.blogspot.com

Portas

"Se você abre uma porta, você pode ou não entrar em uma nova sala.
Você pode não entrar e ficar observando a vida. Mas se você vence a dúvida, o temor, e entra, dá um grande passo: nesta sala vive-se! Mas, também, tem um preço. São inúmeras outras portas que você descobre. Às vezes curte-se mil e uma.
O grande segredo é saber quando e qual porta deve ser aberta.A vida não é rigorosa, ela propicia erros e acertos. Os erros podem ser transformados em acertos quando com eles se aprende. Não existe a segurança do acerto eterno.
A vida é generosa, a cada sala que se vive, descobre-se tantas outras portas. E a vida enriquece quem se arrisca a abrir novas portas. Ela privilegia quem descobre seus segredos e generosamente oferece afortunadas portas. Mas a vida também pode ser dura e severa. Se você não ultrapassar a porta, terá sempre a mesma porta pela frente.
É a repetição perante a criação, é a monotonia monocromática perante a multiplicidade das cores, é a estagnação da vida. Para a vida, as portas não são obstáculos, mas diferentes passagens! "

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

"Algumas pessoas nunca enlouquecem, Que vida horrível elas devem levar..."

(Bukowski)

Confiança

"Tolo é quem confia sempre; tolo é quem continua confiando, contrariamente ao que recomendam todas as suas experiências vividas. Você o engana, e ele confia em você; você o engana de novo, e ele continua confiando; você o engana mais uma vez, e ele ainda confia em você. Então você dirá que ele é um tolo, que não aprende. A confiança dele é enorme; é uma confiança tão pura que ninguém consegue corrompê-la.Seja um tolo no sentido taoísta, no sentido do Zen. Não tente criar uma muralha de conhecimentos em torno de você. Seja qual for a experiência que venha a você, deixe-a acontecer e depois siga em frente, descartando-se dela. Vá limpando sua mente o tempo todo; vá morrendo para o passado, de forma a permanecer no presente, no aqui-agora, como se tivesse acabado de nascer, como se fosse um bebê. No começo isso será muito difícil. O mundo começará a tirar vantagem de você... deixe que o façam. São uns pobres companheiros. Ainda que trapaceiem com você, que o enganem e roubem, deixe acontecer, porque aquilo que é realmente seu não pode ser roubado, o que realmente lhe pertence ninguém pode tirar de você. E a cada vez que você não permitir que as circunstâncias o corrompam, a oportunidade se transformará em um efeito de integração dentro de você. A sua alma se tornará mais cristalizada.

"Osho Dang Dang Doko Dang - Chapter 2

Retirado do blog da minha amiga Dani Marques.

Conhecimento

"Você não pode ensinar nada a um homem, pode apenas ajudá-lo a encontrar a resposta dentro dele mesmo" - Galileu Galilei

domingo, 23 de novembro de 2008

"Uma pessoa inteligente resolve um problema, um sábio o previne."

Albert Einstein

terça-feira, 18 de novembro de 2008

O amor existe para ser belo.

O encanto inicial, a primeira conversa, os bons momentos que partilham juntos. Tudo é novidade, tudo se resume na vontade de estar ao lado do outro.
Declarações de amor, não existem defeitos, apenas as qualidades são levadas em consideração, neste momento a individualidade e a naturalidade ainda fazem parte de cada ser. Até chegarem a conclusão que encontraram a pessoa certa, encontraram o verdadeiro amor.
Algum tempo passa, e resolvem assumir a relação. O convívio diário, as pressões, as difculdades, o convívio dentro de um território até então desconhecido, o território do outro.
É neste momento que os defeitos e as diferenças começam a fazer parte do relacionamento. O diálogo já não é mais o mesmo, as acusações começam a aparecer. O carinho e amor de pouco tempo atrás da espaço para as acusações, brigas e a falta de respeito.
Cada qual quer moldar seu parceiro da sua maneira. Fazé-lo pensar como ele pensa, agir como age. Exige que os 2 se tornem apenas um. E a partir do momento que isso acontece o casal perde a sua referência, perde a sua individualidade.
Aquele amor que parecia eterno no início, começa a se transformar em uma ilusão.
Onde foi parar aquela pessoa maravilhosa? Onde foram parar as declarações de amor?
É neste momento que chegam a conclusão de que o amor não existe, que foram enganados pelo destino e transferem toda a culpa do relacionamento não ter dado certo ao outro. Este é o momento de nomear os culpados.
Não conseguem enxergar onde está o erro. E com isso muitos namoros, noivados e casamentos se desfazem.
As razões para que os relacionamentos cheguem ao fim é porque o respeito pelo outro e a consideração se desfazem. O casal deixa de ser individual.
O ciume toma conta do coração, a desconfiança se faz presente e o desejo de moldar o parceiro a sua meneira destroe qualquer sentimento de amor.
É neste momento que apacerece a falta do amor próprio e a pessoa começa a buscar no outro as respostas para tudo em sua vida. Neste momento a insegurança aparece, aumentando ainda mais o ciúmes, as brigas e o fim do relacionamento é uma questão de tempo.
Esquecem que quando se conheceram, eram cheios de vida, projetos, sonhos e ideais. Esquecem que eram ‘individuais’, esquecem que eram seguros de si, esquecem que esqueceram de si mesmos. 
Afinal, quem poderia imaginar que aquela pessoa se revelaria de forma oposta a tudo aquilo que conhecera?
Será mesmo? Será que esta pessoa no fundo já não era alguém um tanto afastado da realidade e se empolgou nos delírios de um início de relacionamento? Deixando-se envolver totalmente pelos encantos do outro, vivendo a vida do outro?
No outro extremo, qual seria a razão? Se eu tivesse a certeza de um amor verdadeiro e de repente este acabar em nada?
 
O amor precisa ser cultivado, cuidadosamente zelado, carinhosamente aquecido.
O amor protege suavemente e jamais sufoca.
O verdadeiro amor sabe que ninguém pertence a ninguém, e por este motivo não perde a sua individualidade. É original, autêntico, compreensivo e acima de tudo, respeita o outro e também a si mesmo, e permanece firme em si, sem espaço para o egoísmo ou orgulho.
Como pode um relacionamento dar certo se este não for cultivado? Como dois seres podem encontrar a felicidade se confundem amor com apego?
 Neste momento, deixa-se de acreditar na Grandeza do Amor.
Cultive o amor em seu interior com suavidade, sem egoímo e apego. Não permita que o orgulho e o egoísmo lhe consuma a alma e lhe impeça de viver os melhores momentos de sua vida.
O orgulho e o egoísmo são as raízes de todos os males: o ser humano é egoísta demais para dar e orgulhoso ao extremo para receber. Isso é triste, pois impede de encontrar e manter os amores em nossas vidas, principalmente nosso amor próprio.
Ame você mesmo, ame o outro e deixe-se amar."

A vida me ensinou

"A dizer adeus às pessoas que amo, sem tira-las do meu coração;
Sorrir às pessoas que não gostam de mim, para mostra-las que sou diferente do que elas pensam;
Fazer de conta que tudo está bem quando isso não é verdade, para que eu possa acreditar que tudo vai mudar;
Calar-me para ouvir; aprender com meus erros. Afinal eu posso ser sempre melhor.
A lutar contra as injustiças;
Sorrir quando o que mais desejo é gritar todas as minhas dores para o mundo;
A ser forte quando os que amo estão com problemas;
Ser carinhoso com todos que precisam do meu carinho;
Ouvir a todos que só precisam desabafar;
Amar aos que me machucam ou querem fazer de mim depósito de suas frustrações e desafetos;
Perdoar incondicionalmente, pois já precisei desse perdão;
Amar incondicionalmente, pois também preciso desse amor;
A alegrar a quem precisa;
A pedir perdão;
A sonhar acordado;
A acordar para a realidade (sempre que fosse necessário);
A aproveitar cada instante de felicidade;
A chorar de saudade sem vergonha de demonstrar;
Me ensinou a ter olhos para "ver e ouvir estrelas", embora nem sempre consiga entendê-las;
A ver o encanto do pôr-do-sol;
A sentir a dor do adeus e do que se acaba, sempre lutando para preservar tudo o que é importante para a felicidade do meu ser;
A abrir minhas janelas para o amor;
A não temer o futuro;
Me ensinou e esta me ensinando a aproveitar o presente, como um presente que da vida recebi, e usá-lo como um diamante que eu mesma tenha que lapidar, lhe dando forma da maneira que eu escolher."
O texto não é meu, retirei do blog da querida Daniela Escobar (www.bloglog.com.br/danielaescobar), mas reflete um pouco dos meus sentimentos, por isso achei interessante publicar.

domingo, 16 de novembro de 2008

2009 chegando

Estamos próximos do final do ano. 
Junto com a chegada dele, chegam também promessas, desejos e sonhos.
O que vocês acham de começarmos a fazer juntos um planejamento para 2009?

Comentem!!!

"Sabemos muito pouco o que nós somos e menos ainda o que podemos ser".

Lord Byron
"Se você limitar suas escolhas apenas àquilo que parece possível e razoável, estará se desconectando de tudo o que realmente deseja". 

Robert Fritz

terça-feira, 11 de novembro de 2008

A o amor...

Hoje recebi a sugestão de uma amiga para escrever sobre "amores que fazem mal".
Gostei do tema, e pode ser que eu realmente escreva sobre ele. Porém acredito que o amor não faz mal. Se uma relação não faz bem pra gente, pode ter certeza que existe tudo nela, menos amor.
Volto depois falar sobre isso.

domingo, 9 de novembro de 2008

Obrigado...

Nos últimos dias recebi vários e-mails e comentários referentes aos assuntos postados aqui no blog. É muito interessante saber a opinão de cada um, daqueles que concordam, dos que discordam e dos que sugerem. Todo e qualquer comentário é válido e com certeza fará parte de alguma forma dos próximos posts. Portanto deixo um beijo especial para:

Julia Negreiros
Najoa Hishmeh - Já tenho onde ficar em Dubai nas férias.
Saskia
Evani Moreira
Sirlene de Oliveira
Cristina Alves
Na
Helena Di Beneditto
Cristiane Tambascia
Raissa Batista
Caroline Gobel
Margarete
Juliana Castelo Branco
Michelle Cristina Pereira
Juceli Makohin
Carlos Luchessi
Ci
Kika
Rosa
Damaris Cristina
Nádia Almeida
Adriano Bassoi
Lucienne Assis
Leda Garcia
Fabiana
Aracélie Majerhoffer
Olívia Otis
Rafael Venuto
Caroline Gobel
Tereza Cristina
Amanda Gomes
Gecilda de Oliveira
Cristiane Tambascia
Suelane
Tatiana Viana
Gisele Lemos
Suzana Suzuki
Andrea Gonçalves
Ylena Cunha
Maria Goreti
Elaine Cristina
Gschineider
Nice Pinheiro
Maria Estela Costa
Fernanda Oliveira
Luiz Lanza
Fernanda Lara
Geissy
Lídia Bela de Moçambique
Michele
Rafaela
Paula Marques
Sirlei
Naira Zanetti
Daniele
Julio Carrara - Primos? rs
Giovanna
Conde
Camilla Leonel
Débora
Patrícia Alves
Ana Virginia
Vera Lúcia
Carina Almeida
Bell
Nívia Mária
Daiane
Juju
Elisangela Pinto
Jonice
Maysa
Cris
Simome Fernandes
Adriana Silva
Jailton
Camila Souza
Renata
Rômulo Nascimento
Lucivânia
Viviana Xavier
Nise
Vanessa
Tereza Arruda
Michele Pereira
Margarete
Gabriela
Alba Vieira
Thiago Gomes
Sissy M.
Cristina Alves
Gisele Lemos
Rosa Oliveira
Caroline 
Ana Catarina
Silvia Abreu
Susan Vasconcelos
Juliana T.
Maisa
Denize
Cris S.
Betramela
Vania
Shara
Amelinha
Simone
Ana
Walnei Arenque, obrigado pelo convite.
Jonice
Maclau

E a todos os "anonimos" que também enviaram tantos comentários.



terça-feira, 4 de novembro de 2008

Procure bons exemplos

Procure se afastar de pessoas que não tem um comportamento que você julgue adequado e, até mesmo, daqueles pessimistas. Isso é um perigo, pois de tanto ouvir delas "não dará certo", você acaba acreditando e aí tudo da errado mesmo. Se não puder se afastar, fique sempre atento para impedir que seja contagioso. Como todos sabem a leio da atração é muito forte e real. 
Como diz César Romão: "Bons exemplos nos mantêm longe do desânimo e perto da luz que pode nos conduzir ao nosso destino". 


"O homem não pode montar em suas costas, a não ser que elas se inclinem"

Martin Luther King
"Sempre que houver alternativas tenha cuidado. Não opte pelo conveniente, pelo confortável, pelo respeitável, pelo socialmente aceitável, pelo honroso. Opte pelo que faz o seu coração vibrar. Opte pelo que gostaria de fazer, apesar de todas as consequências."

Osho
"Quem é firme em seus propósitos molda o mundo a seu gosto."

Goethe

sábado, 1 de novembro de 2008

Além dos sonhos.

No post amores impossíveis eu disse que o ser humano foi feito pra sonhar. É isso que motiva sua vida. Porém, não coloque seus sonhos em lugares altos demais onde suas mãos não poderão ancançá-los.
Mesmo se a vida parece ilimitada, nós possuímos nossos limites e esperar por algo que está muito longe da nossa realidade, pode nos impedir de olhar  à nossa volta.
E quando isso acontece, acabamos transferindo nossos sonhos para tudo que não está próximo de nós, seja um amor, um trabalho, dinheiro e etc. Fechamos os olhos para as coisas que estão a nossa volta e passamos a valorizar apenas o que nos é e está distante.
Não nos preparamos para aceitar as coisas ou as pessoas com elas são. Então desenhamos na nossa mente algo que só pode existir atrás da linha da realidade e passamos a esperar.
Nos tornamos assim culpados de uma solidão da qual culpamos a vida ou as pessoas envolvidas em nosso sonhos não realizados. 
Por isso eu digo novamente, não coloque seus sonhos em lugares altos demais. Aprenda a ser flexível e menos exigente. Curta cada momento da vida e não permita que as desilusões te impeçam de viver o minuto seguinte.
Precisamos viver o hoje, ele tem muito valor e é a única coisa que temos de concreto na vida. Essa é a nossa realidade, nem todo tempo feliz, nem todo tempo regada de conquista, porém é a nossa realidade.

Ótima semana!

"Importe-se sobre a aprovação dos outros e você se tornará prisioneiro deles"

Lao Tsé

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Olá,
Essa semana como tivemos alguns comentários interessantes aqui no blog, resolvi propor um post diferente. Ao invés de eu escrever, eu gostaria de fazer uma pergunta que eu tenho certeza que muita gente vai sentir dificuldade de responder, mesmo ela sendo muito simples. 

O que te faz falta?

Como eu disse é uma pergunta simples, porém quero que vocês parem, pensem e não estou falando de bens materiais. Me enviem a resposta, ou as respostas. Podem enviar pelo comentário do blog ou para meu e-mail.

Beijo e bom final de semana

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Deixe sua marca

"Homens são como estrelas; alguns geram luz enquanto outros refletem o brilho que elas recebem".

José Martí

Vocês já pararam para pensar que existem pessoas que ficam marcadas de uma maneira muito forte em nossa vida e memória? Os pais, avôs, um amigo ou um chefe. 
Eu não estou falando de heranças materiais, estou falando de legado. São pessoas que fizeram diferença em algum momento da sua vida, seja na educação, história ou atitudes. Você certamente não seria o que é hoje sem a passagem delas. E qual é o seu sentimento em relação a essas pessoas? Muita admiração com certeza.
Eu sou capaz de pensar nas pessoas que marcaram minha vida e me emociono porque tenho certeza absoluta que aprendi muito com ele(a)s. Palavras, frases, conselhos, exemplos e alguns "puxões de orelha" me ensinaram muito. Agora, se parar para pensar em cada uma, percebo que, apesar de muitas semelhanças, todas têm algo muito marcante: elas fazem a diferença na vida dos outros. São pessoas que deixam sua marca, são pessoas admiráveis e quase sempre muito amadas.
As pessoas precisam sentir que fazem a diferença. Fazendo seja lá o que for.
E você, faz a diferença?


Quero agradecer os mais de 200 e-mails que recebi ontem, a maioria deles comentando sobre o post dos amores impossíveis. Talvez seja interessante a gente voltar neste assunto. Peço que enviem sugestões.
Vou responder todos os e-mails aqui. Muito obrigado pelo carinho. Não tenho como agradecer.

Beijo e ótima semana à todos.

domingo, 19 de outubro de 2008

Em um momento de reflexão, nada melhor do que ler essas palavras do meu xará, Fernando Pessoa:

Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudade, mate-a!
Se perder um grande amor, não se perca!
Se achá-lo, segure-o.
Circunda-te de rosas, ama, beba e cala.
O mais, é nada!

domingo, 12 de outubro de 2008

Amores impossíveis

O que torna os amores impossíveis mais atraentes é justamente a impossibilidade. Esta atrai.
A dificuldade de não ter a pessoa que desejamos nos impulsiona, nos motiva. Funciona exatamente como o perigo. Muitas pessoas fazem isso para provar sua força, sua capacidade de conquista. Quanto mais difícil e distante, mais o amor parece ser grande, excepcional e único. E quem não quer viver algo grande, excepcional e único?
Em um amor impossível cabem todos os sonhos, todas as perfeições e personagens, o mínimo detalhe é idealizado. Construímos uma imagem em nossa cabeça, que aquela pessoa é única, e é exatamente o que passamos a vida inteira procurando, mesmo que tudo pareça contra.
Um amor impossível marca pra sempre, mesmo se outros amores vêm e vão depois. Ele sempre deixa aquela sensação de vazio, de inacabado, mau resolvido. E tudo que é mau resolvido, preocupa, incomoda e atormenta. Pois, junto dele, vem a dúvida do e se (e se eu tivesse tentato, tivesse feito diferente). É difícil conviver com uma ilusão. Pois a ilusão não tem resposta, ela não é sim nem não. Ela é meio termo e o meio termo atormenta as pessoas.
Acontece de um amor aparentemente "impossível" se tornar possível e isso quase sempre rouba a magia do sentimento. Inconscientemente muitos sabem disso, o que leva as pessoas a preferirem viver um impossível que dá a satisfação que um possível só poderá abrir os olhos para a realidade. Porque uma vez que o amor torna-se possível, acaba a expectativa, acaba o sonho. E o homem foi feito para sonhar. 
Um amor impossível é forte, resiste ao tempo, ele pode marcar uma pessoa mais que toda uma vida vivida ao lado de outra. Portanto liberte-se desta ilusão.

Foto: Latin Stock

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

A vida te coloca onde você merece estar.

Você pode até tentar encontrar motivos, explicações para sua vida atual, se esta não condiz com suas vontades, e seus desejos. Uma grande verdade e que talvez muitos ignorem, é que cada um está exatamente onde merece estar. Pois, a partir do momento que você decide algo, quando "bate o pé", nada nem ninguém consegue impedir que você prossiga.
Você pode "culpar"o acaso, as coincidências, por sua vida atual, dizer que a vida levou você ou que você deixou-se levar.
Sim, é preciso sim confiar na vida e deixar que ela guie e leve você, mas não se pode atribuir tudo somente a vida. Mas, ter a percepção de que o livre arbítrio faz parte sim, e de acordo com sua decisão tudo flui, no momento certo.
Tudo, absolutamente tudo tem sua razão de ser, tudo tem um motivo, um "destino", o destino que você traça com seus pensamentos e sentimentos a cada novo dia de sua vida. Quando você está totalmente conectado com o universo, quando seu coração está tranquilo e sua mente calma, tudo ao seu redor tem um brilho diferente, inteiro. Pois você tem a convicção interior de que está no caminho certo, ao fato de estar ouvindo a sua voz interior e não a voz dos "outros".
Obviamente estes fazem parte do seu crescimento sim, mas o referido acima é justamente transferir seu poder de decisão ao outro, fugindo de sua responsabilidade, de sua vida. Ou pensar que "aquela pessoa difícil"está ali só para "atrasar sua vida", quando na verdade ela está ali pra aprender algo ou ensinar, sempre.
Quanto mais em si você estiver, quanto mais inteiro você estiver, mais fácil fica a ação do universo a seu favor. Quanto mais você confiar de que tudo está no caminho certo para sua vida, e agradecer sinceramente por isso, mais rápido se torna a realização do mesmo. Não existem bloqueios externos reais, mas sim, você que bloqueia, pois atrai exatamente o que pensa constantemente, o que sente.
É preciso cautela sim, é preciso reflexão, silêncio interior para poder ouvir e compreender a voz que fala, o seu eu. Mesmo que você procure "culpar"os acasos por alguns acontecimentos, mesmo que você pense que é coincidência certa pessoa estar em sua vida, acredite, não e verdade. O universo é regido por leis. E estas são imutáveis e válidas para todos, sem exceção.
Se você age por impulso, se você age com a razão, a sua razão, ou se você ouve somente seu coração, cedo ou tarde a vida vai mostrar pra você que não é este o caminho. Mas sim, o equilíbrio entre ambos.
Ter o bom senso de saber que tudo deve se encaixar perfeitamente, em ordem e harmonia, para então assim tudo fluir naturalmente.
Acasos, coincidências. Deixe tudo isso de lado e viva de fato inteiro, pois cada dia é um novo dia, e não volta jamais. E por isso mesmo, pensamentos negativos e distorcidos não valem a pena. É tempo perdido, mal investido. Portanto, concentre-se em você, em silêncio. Em conjunto com o universo, e perceberá que acasos não existem, mas sim, que cada pessoa se coloca onde merece estar. E isso quer dizer que cada um pode chegar onde quiser também. Basta para isso, confiar, no amor, na paz, na gratidão, na harmonia, ordem e bom senso. Ou seja, confiar em si.



quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Aprendi

Que os amores eternos podem acabar do dia pra noite;
Que os grandes amigos podem se tornar grandes inimigos;
Que o amor, sozinho, não tem a força que eu imaginei;
Que posso ter dito que amei e no fundo descobrir que nem gostei;
Que ouvir aos outros pode ser o melhor remédio ou o pior veneno;
Que a gente nunca conhece uma pessoa de verdade, afinal levamos uma vida inteira para conhecer a nós mesmos;
Que confiança não é questão de luxo, e sim sobrevivência;
Que os poucos amigos que te apoiam na queda, são muito mais fortes do que os muitos que te empurram;
Que o "nunca mais" nunca se cumpre;
Que o "para sempre" sempre acaba;
Que vou sempre me surpreender, seja com as pessoas ou comigo mesmo;
Que vou cair e milhões de vezes ainda, mas a única certeza é que vou me levantar, ainda mais forte.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

domingo, 21 de setembro de 2008

Fazer a diferença

Após um breve silêncio, estou de volta, para falar sobre "fazer a diferença".
Vou postar aqui um pequeno comentário, e durante a semana escreverei mais sobre o assunto.

Pessoas que fazem a diferença são apaixonantes, são atraentes em todos os aspectos, despertam curiosidade, despertam a vontade de estar ao lado sempre.
São intensas nos pequenos e nos mais grandiosos gestos, porque elas simplesmente vivem e deixam viver.

Quero aproveitar para agradecer os cometários e os e-mails que tenho recebido. Muito obrigado.

Até amanhã!

sábado, 20 de setembro de 2008

"A grandeza não consiste em receber honras, mas em merecê-las"

Aristóteles

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Tudo depende de você

"Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia noite. É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje. Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer às águas por levarem a poluição. Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício. Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo. Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo que eu queria ou posso ser grato por ter nascido. Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter um trabalho. Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a Deus. Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades. Se as coisas não saíram como planejei posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar. O dia está na minha frente esperando para ser o que quiser. E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma. Tudo depende de mim.
Charles Chaplin

domingo, 7 de setembro de 2008

Início, meio e fim

Sempre acho que namoro, casamento, romance tem começo, meio e fim.
Como tudo na vida. Detesto quando escuto aquela conversa:
- Ah, terminei o casamento;
- Nossa, quanto tempo?
- Sete anos, mas não deu certo, acabou!
- É não deu?
Claro que deu!
Deu certo durante sete anos, só que acabou.
E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.
Não acredito em pessoas que se completam. Acredito em pessoas que se somam.
Às vezes você não consegue nem dar 100% de você para você mesmo, como cobrar 100% do outro.
E não temos esta coisa completa.
Às vezes ela é fiel, mas não é boa de cama.
Às vezes ela é carinhosa, mas não é fiel.
Às vezes ela é atenciosa, mas não é trabalhador.
Às vezes ela é malhada, mas não é sensível.
Tudo nós não temos.
Perceba qual o aspecto que é mais importante e invista nele.
Pele é um bicho traiçoeiro.
Quando você tem pele com alguém, pode ser  o papai com mamãe mais básico que é uma delícia.
E as vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona.
Acho que beijo é importante, e se o beijo bate, invista.
Se não bate, respire fundo e vá dar uma volta.
Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra.
O outro tem o direito de não te querer.
Não lute, não ligue, não se desespere.
Se a pessoa tá com dúvida, problema dela, cabe você esperar ou não.
Existe gente que precisa de ausência para querer presença.
O ser humano não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas e medos, mas se a pessoa realmente gostar, ela volta.
Nada de drama.
Que graça tem alguém do seu lado sob chantagem, gravidez, dinheiro, recessão de família?
O legal é alguém que está com você por você.
E vice versa.
Nunca fique com ninguém por dó também.
Ou por medo da solidão.
Nascemos sós. Morreremos sós. Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado.
E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.
Tem gente que pula de um romance para outro.
Que medo é este de ficar só, na sua própria companhia?
Gostar dói.
Você muitas vezes vai ter raiva, ciúmes, ódio, frustração.
Faz parte. Você namora outro ser, outro mundo e outro universo.
E nem sempre as coisas saem como você quer.
A pior coisa e gente que tem medo de ser envolver.
Se alguém vier com este papo, corra, afinal, você não é terapeuta.
Se não quer se envolver namore uma planta. É mais previsível.
Na vida e no amor, não temos garantias.
E nem todo sexo bom é para namorar.
Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.
Nem todo beijo é para romancear.

Não estou aqui fazendo nenhuma apologia a traição, ou a constante troca de parceiros. Acredito que nunca iniciamos um relacionamento pensando no seu final, porém, muitas vezes o fim é inevitável, portanto ame intensamente e seja sempre sincero com seus pensamentos e sentimentos.

Recebi esse texto da amiga Daniela Escobar (www.bloglog.com.br/danielaescobar), infelizmente não tem o nome da autor (a).


"É escolha - não chance - é que determina o seu destino.

domingo, 31 de agosto de 2008

A percepção de si mesmo


“Não sou da altura que me vêem, mas sim da altura que meus olhos podem ver ” – Fernando Pessoa

Sabia que como você se vê exercerá um tremendo impacto na distância que você percorrerá na vida e no fato de realizar ou não o seu destino? A verdade é que você nunca se erguerá acima da imagem que tem de si mesmo em sua mente.

Estou falando de auto-estima, o profundo sentimento que você nutre a respeito de si mesmo. O sentimento que diz: “Eu gosto de mim” ou “Eu não gosto de mim”.

Joel Osteen, líder da Lakewood Church, em Houston, Texas, fala desse tema de uma forma especial. Ele explica como, ironicamente, a sua auto-imagem atual pode ser o resultado de coisas que outras pessoas disseram a seu respeito, de como seus pais e colegas o viam, ou pode ter origem em imagens que se impôs – retratos que pintou mentalmente de si mesmo relacionados com sua personalidade ou aparência, suas habilidades ou realizações.

“Toda pessoa tem uma imagem própria. A questão é: a imagem que você tem de si mesmo corresponde corretamente à pessoa que Deus diz que você é?

Talvez você pense: Nunca vou vencer na vida. Meus sonhos nunca se tornarão realidade. Meu casamento está acabado. Estou endividado demais. Nunca vou sair do buraco em que me meti.

Você precisa aprender a eliminar esses pensamentos negativos e começar a ver a si mesmo como Deus o vê: um vencedor, um vitorioso. Ele o vê como sendo perfeitamente capaz. Entenda que você não é um acidente cósmico que vaga ao acaso e sem rumo pela vida. Deus tem um propósito específico para você.

Se você deseja que as circunstâncias mudem para melhor na sua vida, precisa vê-la se modificando através dos seus ‘olhos da fé’. Comece a ver seu casamento restaurado, seu negócio prosperando, seus filhos desfrutando as dádivas de Deus. Você precisa se ver como uma pessoa feliz, realizada e bem-sucedida que vive uma vida vitoriosa e então tudo começará a acontecer.”

Foto: Lantin Stock

terça-feira, 26 de agosto de 2008

Querer não é poder

Por que tanta gente, apesar de estabelecer objetivos, não consegue dar o primeiro passo para concretizá-los? No meu ponto de vista, isso ocorre graças a uma das certezas mais presentes em nossas vidas: a crença do querer é poder.
Essa é uma idéia infantil. Basta olhar em volta e responder: será que milhões de pessoas "miseráveis" não querem muito ter ao menos uma pequena casa para abrigar sua família? É óbvio que sim.
Pra mim a afirmação do querer é poder é uma argumento perigoso: o de que nossos desejos têm, por si sós, o poder de transformar o mundo. Levada às ultimas consequências, essa idéia sugere que as realizações sejam construídas em um passe de mágica. O resultado disso é que as pessoas acabam investindo muita energia no plano do querer, a mesma energia que poderiam utilizar no plano do fazer, realizar.
O querer, quando não está acompanhado pela determinação do fazer, gera apenas tensão. As metas devem ser estabelecidas e atingidas, e não cultivadas e admiradas. De nada adianta imaginar como é o topo da montanha sem sair do lugar.

Deixo aqui um abraço especial para o Muoio e pra Francine. Que bom ter vocês por aqui!

Contentamento

Não coloque seus sonhos em lugares altos demais onde suas mãos não poderão alcançá-los.
Mesmo se a vida parece ilimitada, nós possuímos nossos limites e esperar por algo que está muito além pode nos impedir de olhar à nossa volta.
Buscamos longe flores que poderíamos encontrar em nosso jardim, porque o que está distante sempre parece encoberto por uma neblina que elimina toda imperfeição.
Não nos prepararam para aceitar as coisas ou as pessoas como elas chegam, com muita ou pouca bagagem, com força ou sem muita vontade. Então desenhamos na nossa mente e fotografamos no nosso coração algo que só pode existir atrás da linha da realidade. E nos pomos a esperar!
Nos tornamos assim culpados de uma solidão da qual culpamos a vida ou os demais. Nos negamos a aceitar, pedindo ainda que aceitem a nós, e continuamos esperando pelo que amanhã vai nos trazer.
Envelhecemos sem sair do lugar, sonhando ainda e além, mas sem provar da vida nesses mínimos detalhes, nem sempre coloridos e perfeitos tais raios de arco-íris, mas reais o bastante para nos fazer sentir vivos.
Aprenda a ser flexível e menos exigente. Ria de bom coração quanto tiver que rir e não permita que as mágoas te impeçam de viver o minuto seguinte.
Preciosa é a vida e preciosos são os que amamos. Preciosos ainda são aqueles que nos amam, os que cativamos.
Precioso é o hoje, é o que temos, é o que tocamos. É essa realidade, nem todo o tempo bonita, mas ainda assim a nossa contribuição para a história do mundo.
Texto: Letícia Thompson

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Um dia olharei para trás e enxergarei tudo com outros olhos.
Ficarei com ódio, por ter me doado tanto;
Ficarei com pena, por ter entregue minha alegria e meus sonhos nas mãos de uma única pessoa e permitido que ela os levassem de mim;
Ficarei com dúvida do porque não enxerguei os limites do bom senso;
Ficarei intrigada ao tentar entender que aquele amor que eu insistia em preservar, só despertava mais desamor por mim;
Ficarei indigninada em ter persistido numa relação ganha-perde, onde meu sofrimento determinava a satisfação do outro;
Ficarei furiosa em constatar que eu poderia ter resumido a história em poucos meses, mas insisti em prorrogar por anos;
Ficarei angustiada em ver tantas lágrimas derramadas em vão, nas noites sem dormir que não poderão mais voltar;
Por fim, ficarei aliviada em ver que essas lágrimas secaram e que o céu, apesar de tudo, voltou a brilhar!
É hora de viver a vida e deixar a expectativa de sonho, porque contos de fadas modernos não tem fadas, muito menos príncipes.

Esse texto é da querida amiga Renata Lorena.
Quem nunca se culpou por ter acreditado no amor e por ter entregue o coração para uma pessoa que não o valorizava? Faz parte da vida, é aprendizado. Serve para valorizar ainda mais os amores e sentimentos futuros. Aprendemos a não entregar nosso coração a quem não merece, ou não sabe o que fazer com ele. De fato ficamos mais restritos, fechados, mas quando o sentimento voltar, pode ter certeza que será real e para sempre.


segunda-feira, 18 de agosto de 2008

"O silêncio é um texto fácil de ser lido errado"

A. A. Attanasio

Ele ta chegando!

Logo volto para explicar quem é o nosso amigo aí em cima.

Em nome do Pai

O individualismo está cada vez mais presente nas atitudes das pessoas. Todos estão querendo nos condicionar a viver dentro do seu mundo, nos obrigam a gostar das mesmas coisas, ter as mesmas crenças e atitudes. Quem ousa ter opinião contrária é recriminado ou julgado de maneira precipitada. Sinceramente, acho que está na hora das pessoas pararem de querer condicionar a felicidade a vida do outro. 
Cada ser é único. É individual. Tem direito de fazer suas próprias escolhas, goste você ou não. 
Deixo abaixo um texto do incrível humorista Bruno Mazzeo. Vale a pena ler!!!



Não gosto de fanatismo. De nenhum tipo. Religioso, futebolistico, político, por ex-BBBs, não gosto. Pra começo de conversa acho sempre um papo chato e isso por si só bastaria. Mas além da chatice, o fanatismo anda lado a lado com a hipocrisia. E essa soma toda acaba invetivavelmente desembocando na ignorância.
Fui criado numa família católica. Católica light, vamos dizer. Fui batizado, fiz Primeira Comunhão, todo o ritual como manda o figurino. Mas nunca fui de ir a Missa aos domingos. Apesar de minha avó ser daquele tipo que conversava com Jesus. Eu preferia ver as corridas de Fórmula 1. E isso não me faz uma pessoa menor.
Hoje não me considero católico, nem mesmo religioso, apesar de ser uma cara de fé. De muitas fés, diga-se de passagem, seja lá qual for o plural de fé. Tenho as forças superiores nas quais acredito, mesmo ainda não tendo chegado à conclusão definitiva sobre qual é a minha religião específica. E nem me cobro por isso, não sei se faço questão de rotular minhas crenças, porque a fé me basta e ela não costuma falhar. Quando vou a um hotel a ficha não pede que eu preencha esse tópico. Para tirar segunda via da habilitação o cara do Detran também não toca nesse assunto. Então, tudo bem se eu puder estudar um pouco mais o budismo (que é mais um filosofia de vida do que uma religião, mas enfim...), o espiritismo, o xamanismo, o rastafarismo, os extra-terrestes, mesmo o catolicismo. Enquanto isso vou acreditar no meu Deus. Veja bem: no meu. Que não necessáriamente é o pai de Jesus. Seja ele Deus, Buda, Alá, São Longuinho, Bob Marley. O que não me impede de rezar o Pai Nosso antes de entrar num palco, ou de agradecer a Deus (o meu) por mais um dia antes de dormir, ou de batizar meu filho numa igreja franciscana, ou de conversar constantemente com meu amigo anjo da guarda, ou de ir numa taróloga, ou de fazer cura prânica ou xamânica, ou de meditar, o de fazer o que der na telha para buscar me religar com o universo. Não é esse o sentido da palavra "religião"?
Respeito é bom e todo mundo gosta. Inclusive Jesus ou Seu Pai. Agora, o que é desrespeitoso varia de pessoa para pessoa, assim como os gostos e, por que não?, a religião em si. Jesus Cristo foi inúmeras vezes citado no "Cilada"e eu não me sinto merecedor de queimar no fogo do inferno por causa disso. Graças a Ele próprio nunca sofri acusações xiitas quando as cenas foram exibidas, mas eu sabia muito bem que corria esse risco. De John Lennon a Madonna, de Monty Python a um personagem do Chico Anysio, quem usou um crucifixo ou o "santo nome"em cena, numa foto, num palco, numa canção, ou seja lá onde for, vai ter que ouvir a ladainha de fanáticos e/ou hipócritas, com mil pedras nas mãos, ávidos por atirar a primeira. E aí resta me unir a Cazuza e pedir piedade, Senhor, piedade pra essa gente careta e covarde.
Querer tirar a Playboy das bancas por causa de uma foto com um crucifixo na mão é muito mais agressivo do que a foto em si. Pelamordedeus! Será a ditadura de Cristo? Carol Castro deve ter colocado água no feijão da Santa Ceia!
Jesus adoraria o ensaio. Quem garante que não? O que eu não sei é se Deus gosta de neguinho mundo agora fazendo gerra em Seu Nome. Em Seu ou de algum "colega", que pode até ser chamado de outro apelido, mas que no fundo é Ele mesmo. O mesmo que apontou pro Romário e disse que ele era o cara. Quem tem a cara do Morgan Freeman ou do Antonio Fagundes, que tem a cara que a gente quiser, ou não tem cara nenhuma. Que é homem, mulher, menino, velho, negro, branco, amarelo, energia, matéria, luz, eu você, que não tem dentes no país dos banguelas.
Tampouco sei se Ele é realmente conta a camisinha. Ou o sexo antes do casamento. Ou o sexo em si. Tô com Vinícius de Moraes, não vou acreditar em nada disso enquanto não me apresentarem um procuração com firma reconhecida em cartório. E se, por acaso, Ele fosse contra tudo isso, seria a Sua opinião. Não necessariamente a minha. Ou a sua, que me lê agora. A não ser que o assunto sejam padres pedófilos, aí eu tenho certeza de que Ele seria contra. Como eu. Como você. Graças a a Ele a maioria ainda pensa assim. Isso sim mereceria ataques xiitas, palavras ofencivas, protestos. Aliás, também tenho dúvidas se Ele anda gostando da cobrança de 10% em Seu nome, já que nunca cobrou royalties pela venda da Bíblia. Nem mesmo quando ela foi lida num CD pelo Cid Moreira. E olha que daria uma bela aposentadoria, afina, já foi dito que Ele só não é mais popular do que os Beatles!
Chega de usar o Santo Nome em vão para tentar inventar maldade onde não há. Ou alguém acha que a tal foto na revista causa um mundo pior? Ora, Deus tem coisas mais importantes para se preocupar. Como proporcionar o sol de cada dia ou, nos momentos em que está mais irritado, um tsunami. Tem coisas muito mais maléficas acontecendo em volta, inclusive em templos, ingrejas, terreiros, catedrais...
Quem acha que toda nudez deve ser castigada, tem todo o direito de não folhear a revista. Minha avó faria isso. Vai folhear a Veja, já que talvez não se incomode com candidatos usando o nome Dele para se eleger. Fazendo preces ao invés de mostrar programas de governo, enganando o povo humilde, deixando-os crentes que ele é gente. Aliás, já é hora do tal padre que criou a polêmica explicar pros seus superiores que diabos ele fazia com a Playboy da Carol Castro na sacristia! Escondam os balões de gás, que o padre pirou!
Que cada um encontre a sua fé (se quiser, se não quiser também tá tudo certo), suas crenças, sua busca pela paz interior. Sem julgar. Sem agredir. Sem impor. Isso sim é feio. Vai contra os princípios democráticos do Filho do Criador. É quase um pecado. Quase, porque ninguém é de ferro e todos nós somos filhos de Deus e uma das Suas funções é justamente perdoar.
Que tal buscar as coisas boas da vida dentro de si, ao invés de ficar buscando coisas ruins nos outros? Aliás, as que você acha ruim, mas que eu posso não achar. Always look on the bright side of life. Como cantou o humorista inglês Eric Idle - crucificado, diga-se de passagem.
Senhor perdoai os fanáticos, eles não sabem o que fazem!




sábado, 9 de agosto de 2008

Olímpiadas da Vida


Recebi esse texto muito interessante da amiga Karen Jardzwski, vale a pena ler, pensar e tirar as lições necessárias do tema apresentado. Tenho certeza que vão gostar!
Até o dia 24 de agosto, todos nós teremos oportunidade de acompanhar as Olimpíadas de Pequim. Além de emocionalmente envolvidos com cada atleta na condição de torcedores de nosso País, também poderemos conhecer fistórias que, sem dúvida, ficarão para sempre em nossa memória.
Acompanharemos o esforço, dedicação, suor, sorriso, choro, alegria ou tristeza de cada atleta. Serão mais de 10 mil esportistas disputando provas e buscando medalhas e a realização de seus sonhos. Mas a vitória tão almejada não será conquistada por todos. Alguns ficarão longe do que queriam, outros vão perder por muito pouco - milésimos, centímetros, mínimos detalhes.
E teremos diversos vencedores, que poderão comemorar o resultado de anos de preparação, desenvolvimento e planejamento. Terão a doce sensação da certea de que valeu a pena cada hora de treinamento puxado, cada dia longe das pessoas amadas e todas a vezes que precisaram abrir mão de algumas coisas em buscas de seus sonhos.
E você, como tem se preparado para sua olimpíada? O que tem feito para conquistar suas medalhas diárias e subir no pódio? Que tal aproveitar os Jogos Olímpicos de Pequim para tirar lições importantes para suas vitórias?
"Essa experiência pode ser uma chance para nos reposicionarmos não apenas como meros expectadores, e sim como aprendizes de momentos que poderão fazer a diferença, tanto nos negócios quanto na vida", declarou Suzy Fleury à revista Motivação tratando da semelhança da realidade dos atletas olimpicos e dos profissionais que almejam a realização de seus sonhos.
Suzy, que é consultora empresarial, psicóloga e escritora famosa por tratar da preparação de pessoas na área esportiva e corporativa, explica que muitas atitudes necessárias a um atleta são fundamentais para qualquer profissional. De acordo com ela, existem dez atitudes essenciais ao esportitas e profissionais. Veja quais são:
1. Foco: Defina aonde quer chegar.
2. Motivaçõa: Desperte sua força para vencer.
3. Iniciativa: Faça o que tem que ser feito.
4. Criatividade: Busque novas soluções.
5. Inteligência Emocional: Aprenda a lidar com as emoções.
6. Comprometimento: Assuma e cumpra suas responsabilidades.
8. Resiliência: Adapte-se para superar dificuldades.
9. Persistência: Não desista de seus objetivos.
10. Autodesenvolvimento: Invista em seu aprendizado todos os dias.
"Não faça da tua vida um rascunho, poderás não ter tempo para passar a limpo"
Mário Quintana

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Qual é a sua verdade?

Vocês já pararam para pensar o que é a verdade? A que ela está relacionada, como devemos colocá-la em prática? Por que muita gente foge dela? Por que é mais fácil mentir ou omitir a verdade, doa a quem doer?
Este é um tema amplo, complexo e muitas vezes individual, pois cada um pode ter uma forma de encarar ou entender o tema apresentado, porém, essas perguntas me faço diariamente, sabem por que? Porque sou ser humano como todos, e com tal, em momentos de dificuldade a dúvida da verdade ou mentira, passa na minha cabeca, como tenho certeza que passa na cabeça da maioria das pessoas. Mas, é neste momento que escolhemos para onde vamos condicionar nossas vidas e pensamentos. Talvez o medo de magoar o outro seja um dos motivos de tanta mentira hoje em dia. Agora, pare e pense, quando você mente a quem você está enganando, a quem você está magoando? Seu amigo, namorada, pai ou mãe? Não! Você está magoando e enganando a si mesmo, pois, a mentira envolve aspectos e cenários. Por isso, o tão famoso ditado: "mentira tem perna curta", afinal, ninguém mente sozinho.
Quando você mente ou manipula uma situação, está simplesmente perdendo o direito "exigir"qualquer atitude ou resposta de uma outra pessoa. Afinal, que direito você tem de exigir alguma coisa de alguém, sendo que seus questionamentos estão pautados na mentira? Não temos direito nenhum. Mas o grande problema é que as máscaras anda maiores que a consciência, taí a explicação da extinção de verdade. É muito mais fácil ser uma farsa do que ser a realidade. Encarar de frente seus medos e impossibilidades. 
Quem escolhe ter personalidade própria paga um alto preço na sociedade. Agora, será que é ela que nos obriga a mentir tanto? Sinceramente eu não tenho essa resposta, a única coisa que eu sei é que só a gente tem capacidade de construir a nossa própria realidade e escolher qual caminho vamos seguir, o da verdade ou da mentira.
Quando escolhemos estar na farsa, perdemos a nossa referência, nosso sentido, nossa essência e sinceramente falando, uma pessoa sem essência não é uma pessoa, é um ser manipulado, que segue regras impostas sabe-se lá por quem. E um ser manipulado não tem vida, nem escolha e tampouco coração, portanto, por qual motivo ele vive? Pensem nisso!

Um abraço especial para Roberta, Silvia Masc e Zé Maria. Continuem acessando.


segunda-feira, 4 de agosto de 2008

"O pior que uma pessoa pode fazer em relação à verdade é conhecê-la e virar-lhe as costas"

Jacques Bossuet

"Felicidade é uma viagem e não um destino"

A felicidade parece ser algo que sempre está para chegar.
Acreditamos desde cedo que a vida será melhor depois que entrarmos na faculdade, encontrarmos o príncipe encantado, conquistarmos a estabilidade financeira, emagrecermos 5kg e etc.
Estamos sempre condicionando a nossa felicidade a algum acontecimento especial, só que esquecemos que existe uma grande diferença entre o ser feliz e o estar feliz. Ninguém enfrenta ao longo da vida apenas bons momentos. As perdas são inevitáveis, as decepções também, o que não podemos é modificar nossas convicções, pois, são elas que nos fazem estar sempre em verdadeira sintonia com os nossos princípios, e estes meus amigos, são os principais responsáveis por nossa felicidade.
Acredito que não exista conquista da felicidade e sim aprendizado para ser feliz. Isso mesmo, precisamos nos educar, fortalecer nossas potencialidades, para que os momentos de fraqueza durem apenas o tempo suficiente para serem entendidos e aceitos.
Não podemos passar a vida toda lamentando a perda de um grande amor, de um emprego, ou uma pessoa querida. Temos é que usar esses momentos para analisar se demos ou não o melhor de nós quando tivemos a oportunidade de estar ao lado da pessoa que a gente ama ou amou. Não perca mais nem um minuto se lamentando, a felicidade não bate na sua porta.
A felicidade está dentro de você, na sua filosofia de vida, na sua forma de encarar o mundo, as pessoas e a vida.
Aprenda a crescer, aprenda a ter o coração aberto, pois, quando conseguir isso você vai enxergar que "não existe caminho para felicidade. A felicidade é o caminho!


Boa semana à todos

quinta-feira, 31 de julho de 2008

Eu no www.minhavida.com.br

Gente, estou escrevendo para o site http://www.minhavida.com.br/
O site tem como principal objetivo melhorar a qualidade de vida das pessoas. Com uma abordagem holística sobre saúde e bem-estar, proporciona, em um único endereço, serviços com supervisão de especialistas renomados e editoriais responsáveis. Líder em audiência na categoria (Ibope e-ratings), o portal conta com mais de 2 milhões de acessos, mais de 3 milhões de usuários cadastrados.

Deixo abaixo o link das duas matérias que eu escrevi. A coluna é quinzenal, portanto, daqui alguns dias teremos novidades. Vale a pena navegar por todo o site, tenho certeza que vocês vão gostar.



sexta-feira, 25 de julho de 2008

“O dinheiro que você ganha vale o preço que você paga?”

Graham Nash

Vale a pena ganhar mais dinheiro?

Quem não deseja ganhar mais dinheiro? Acho que todas as pessoas que conheço diriam que sim, obviamente, querem ganhar mais. Inclusive eu. Mas também é muito comum esquecermos de nos perguntar até que ponto isso vale a pena.
Esse questionamento é muito importante para avaliarmos se estamos dispostos a pagar o preço que o aumento nos rendimentos pode ter. No entanto, quase sempre, quando nos deparamos com a oportunidade de ganhar mais dinheiro, a primeira imagem que vem à nossa mente é a gente desfrutando desses “cifrões a mais no orçamento”. Raramente paramos e analisamos o que acontecerá com nossa vida se aceitarmos ganhar mais.
Pode ser que nada mude além é claro de você usufruir de mais dinheiro. Entretanto, é possível que para aumentar sua renda você tenha de trabalhar num ambiente que não goste, desempenhar atividades que não têm nada a ver com sua realização profissional, se dedicar muito mais do que está disposto ou até prejudicar outras pessoas.
E aí, nesses casos, vale a pena ganhar mais? Pode ser que sim ou pode ser que não. Tudo depende da análise que você fizer. O problema é que, em geral, não fazemos uma pausa para olhar todos os pontos e depois decidir. A maioria das pessoas toma a decisão e só se dá conta de tudo isso depois. Muitas vezes, esse “depois” pode ser tarde demais.
Bom final de semana à todos

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Medo

Todos temos nossos medos, nossos receios, afinal, somos humanos. Mas quando este medo trava uma atitude torna-se um problema para nosso cotidiano.Nos concentramos em algo que não existe, uma ilusão criada pela nossa mente e que por vezes impede a chegada de novas oportunidades ou descartamos as que a vida nos oferece.Temos medo de tentar e prosseguir em algo. Tentamos buscar pelo melhor, mas quando este melhor chega, o medo impede nosso progresso e novamente voltamos à estaca zero.Por medo deixamos de amar ou reconquistar um ‘amor supostamente perdido’.Por medo não conseguimos crescer profissionalmente, apesar de estarmos cientes de que possuímos grandes potenciais e capacidades para algo realizar.Por medo desconfiamos da Vida e o que ela nos oferece, duvidamos de nosso merecimento quando a Vida nos presenteia com o que é nosso por direito e dizemos: ‘é bom demais pra ser verdade’.
Por medo, seguramos nosso verdadeiro Ser, prendemos nosso íntimo, empurramos para dentro de nós nossa verdadeira identidade, nosso Eu mais profundo.E nossos sonhos, nossas metas, nossos objetivos, são deixados de lado, engavetados, no mais secreto lugar de nosso subconsciente. Por medo e vaidade de que alguém descubra nossa fraqueza.. e assim, tocamos a vida, empurrando ao invés de vive-la plenamente. Resultado: frustração.
O que fazer então??
Viva e deixe viver! Disciplinar o medo, transformando esta ‘energia’ em algo positivo, a seu favor. O medo também impulsiona o ser humano, pois ele encara como uma espécie de desafio. Mas, é preciso cuidar para que este mesmo medo, não vença este desafio.É estar em si mesmo, sempre! Quando você fica do seu lado, presente o tempo inteiro, tendo ação consciente do que você faz consigo mesmo, lentamente, o medo vai perdendo suas forças e este lhe deixa de vez.

Esse post é dedicado a minha querida amiga Paula Padovani. Uma amiga incrível assim não é todo dia que a gente encontra.

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Amor e individualidade.

A individualidade é necessária para o crescimento e a evolução pessoal. Saber que tudo depende de você e somente de você é que faz com que você reflita sobre o que está acontecendo em sua vida. Permitir que o outro tente induzi-lo às suas vontades é deixar-se de lado. Em se tratando do amor, este nobre sentimento, que antes de amar a carne, ama a alma do outro, é ainda mais delicada a compreensão.Alguns confundem o amor, acreditam que tem o direito a cobranças, exigências. Mas o amor não é assim, o amor é a si mesmo e isso basta.Ele é leve e natural, não faz sofrer, não leva à revolta, mas sim, a compreensão verdadeira de si mesmo e do outro.Respeita a sua Essência e a Essência do outro. É capaz de permanecer ao lado, em silêncio ou na palavra, apenas pela presença, oferecendo o que há de melhor dentro de si... A compreensão, o carinho, o respeito, a total reciprocidade de sentimentos, sem jamais perder a consciência da individualidade.Sim, dois inteiros que formam um Todo. Mas para isto acontecer, deve sim existir o amor verdadeiro. E para tal, é preciso ter o coração tão aberto, a ponto de amar a todos com respeito, sabendo que cada um tem sentimentos e desejos assim como você.

domingo, 13 de julho de 2008

Melhore-se, para melhorar a sua Vida!

Não é o outro que deve mudar, é você que precisa refletir sobre seus atos.
Não é o exterior que atrapalha o seu crescimento pessoal, é você que se bloqueia, vive alienado, e julga-se "normal".
Não é a "inveja" do outro que dificulta o seu sucesso, mas sim, o poder e a importância que você dá a esta pessoa. E afinal, o que o julga tão especial, a ponto de acreditar, que os erros de sua vida são por culpa da inveja dos outros? As pessoas tem muito mais o que fazer, e não só em você reparar!
Quanto tempo mais vai acreditar que está fora de você a solução de um problema? Quando na verdade a resposta sempre esteve com você, e irá reconhecê-la, se deixar sua mente tranqüila e aberta para as soluções.
Portanto, melhore-se, para melhorar a sua Vida!

quarta-feira, 9 de julho de 2008

O grande encontro: Passado, Presente e Futuro.

Cansado de tanta discussão e tanta dúvida, o Tempo resolveu unir os seus três principais companheiros: O Passado, o Presente e o Futuro.
Discutiam eles qual dos três era o mais importante. Qual tinha mais valor e qual dava mais sentido à vida das pessoas. Mas nunca chegavam a uma conclusão. Nem mesmo eles sabiam exatamente qual a importância que tinham na vida das pessoas.
O Passado – como só ele sabe ser, preso aos seus conceitos, amarrado em histórias antigas e por vezes até ultrapassadas dizia: - Tenho consciência de que jamais volto na vida das pessoas, pelo menos não de mesma forma. Ao mesmo tempo, sei que sem mim, não se teria nenhuma base, nenhum fundamento para estudos, descobertas, e novos rumos para a vida de uma pessoa. No entanto, vivo triste porque percebi que muitos não me "soltam" de jeito nenhum. Apegam-se de tal maneira que me sinto sufocado. Por mais que eu tente a liberdade, mais as pessoas me chamam de volta. Causo nas pessoas uma profunda tristeza, quando sou associado aos maus momentos, e me pedem mudanças. Mas como posso fazer isso? Queriam que "fosse" diferente. E cada vez mais as pessoas se agarram a mim, impedindo de viver o Presente e conhecer o Futuro, dizia ele com profunda nostalgia.
O Futuro – vive fugindo das pessoas. - Tenho tanto medo de não corresponder as expectativas das pessoas, que estas querem agarrar-me de todo jeito, mesmo que para isso tenham que usar de métodos ilícitos. Tenho dúvidas, sinto um constante perigo iminente. Causo assim a ansiedade e a angústia no coração das pessoas. Poucos conseguem corresponder as minhas perspectivas, assim também como eu mesmo me perco, ao fato de as pessoas terem uma visão errônea a meu respeito. Afinal, como posso retribuir aos pedidos que não são cultivados? Que não são objetivos e realizáveis? Eu jamais posso agir sozinho, para isto acontecer, para que eu possa retribuir de maneira agradável, à altura da pessoa que me chama, esta pessoa teria que no mínimo plantar bons pensamentos e sentimentos, e refletir estes em boas ações no Presente. Me confundem com o Passado, comparando-nos excessivamente, ao mesmo tempo, sei de minha grande importância em comparação ao Passado. Pois sou o novo, o Progresso e isso não muda. Mas as pessoas se prendem ao Passado, vivem no Futuro e esquecem do Presente.
- Até mesmo nesta "discussão" vocês esqueceram do Presente? Dizia o Tempo. Até mesmo entre vocês, nas gigantescas diferenças que possuem, deixaram de lado o Presente? O que dizer das pessoas então?
O Passado e o Futuro permaneciam silenciosos e apenas ouviam!
- Não é esta a seqüência correta de uma vida: Passado, Futuro e Presente. Por que não seguiram a ordem dos fatos? Da realidade?
Sua vez Presente, fale-nos como se sente. Disse o Tempo.
Presente - Tenta estar no momento! - Procuro de todas as formas me fazer ver, mas ninguém me enxerga! Estou ao lado das pessoas todo o tempo, a cada instante, sou o mais constante, o mais acessível, o mais realista, o mais consciente. No entanto, por mais que eu me esforce, muitos somente se dão conta de mim, no fim da vida. Insisto em "atenção consciente" – de prestar atenção no momento – em mim, insisto em ensinar as pessoas a viver intensamente cada momento, a elas estarem junto delas mesmas integralmente. Sou o único que posso fazer e aceitar mudanças. Mas, o que vejo é a prisão do Passado e a dúvida do Futuro consumindo a todos. E por mais que eu tente mostrar a todos que sou muito mais importante, e que através de mim, ou seja, cuidando de mim, o Passado não fica tão torturante e o Futuro tão angustiante, infelizmente a maioria não percebe. Até tentam, por um breve período, mas logo em seguida, caem novamente nas tentações do Passado e na curiosidade do Futuro, e outra vez, fico só.
Todos se calaram. Nada mais foi preciso dizer. O Presente estava ali mais presente do que nunca, mostrando a todos que dele dependem o Passado e o Futuro...
O Tempo liberou seus três companheiros dizendo:
- É uma pena que a maioria vive do Passado, enquanto outros "tentam viver" no Futuro, e esquecem do Presente! Vocês não têm culpa dos desatinos e loucuras que cada pessoa comete. Que cada um de vocês cumpra o seu papel, na certeza de que quem os cria são as pessoas.
Que todos aprendam com você Passado. Que todos tenham objetivos com você Futuro.Que todos valorizem e vivam você Presente.

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Viva com ALEGRIA

Tenho pensado muito na diferença entre felicidade e alegria. Quanto mais eu penso neste assunto eu descubro que precisamos viver, pensar e agir com alegria. Agora você pode me perguntar, mas qual é a diferença existente entre os dois sentimentos? A felicidade é baseada em acontecimentos. Se as coisas acontecem como esperei ou planejei, estou feliz. Se algo não dá certo, estou infeliz.
A alegria é um sentimento muito mais profundo, que não está ligada a circunstâncias externas. Alegria é a satisfação interior e a convicção de saber que você está verdadeiramente em sintonia com os princípios permanentes da vida. A gente começa a compreender essa diferença quando nos libertamos das algemas do ego e da concentração em nós mesmos, isso destrói a alegria de viver.

domingo, 29 de junho de 2008

“A vida é um eco. Se você não gosta do que está recebendo, observe o que está emitindo”

Lair Ribeiro

Alguém aí sabe do amanhã?

Por mais que façamos cobranças a nós mesmos e mil planos, não tem jeito, não temos jamais nada garantido simplesmente por nossos caprichos. O mundo continuará dando suas voltas despreocupadamente. Então me parece que o negócio é ficarmos menos tempo tentando adivinhar o futuro ou nos culpando pelo passado. Aceitemos mais o risco de romper com os velhos padrões e limitações que têm nos impedido de estar no presente. O melhor que já vivemos e o melhor do que está por vir são criados sempre aqui, no agora. Quanto maior for nossa real presença, maiores as chances de enxergarmos o que está na nossa frente, não é mesmo? Bora viver cada momento da melhor maneira que a gente puder!

Texto da amiga Dani Marques

domingo, 22 de junho de 2008

Você cria a sua realidade

Você lê livros, conhece teorias sobre a Vida. De alguma forma tenta encontrar explicações, sempre. Reflete sobre suas atitudes, questiona o porquê de algumas dificuldades, de algumas ‘decepções’ e frustrações!
Entre tantas coisas que você já aprendeu, será mesmo que você pratica uma pequena parte do que diz saber?
Teorias de nada servem se você apenas conhece e não aplica. Somente a experiência é válida, e esta, sempre com humildade. Tendo consciência que o outro, por mais simplório que possa parecer diante de seus olhos, também lhe traz algum tipo de crescimento. Seja para moldar você, seja para fazê-lo compreender um momento de aflição, seja para sentir compaixão ou até mesmo, você colocar-se no seu lugar, quando se julga "saber tudo".
A arrogância por vezes pode consumir corações, ao pensar que sabe mais que o outro, quando soubemos de uma pequena parte das verdades da vida. A vida é um segredo que é desvendado pouco a pouco, dia após dia.
E de nada serve tornar-se alguém que se julga superior, por supostamente acreditar que sabe mais que o outro. Tudo é crescimento, tudo faz parte da Evolução Pessoal de cada um. E isto é uma questão individual, cada um em seu grau e deve-se respeitar. Você cria a sua realidade. Por mais que procure encontrar fora de você os motivos para alguns desatinos, compreenda que tudo vem de dentro de você. Sim, é verdade. Pare para observar seus pensamentos e os seus sentimentos que irá compreender o que estou falando.
Boa semana à todos!

sábado, 14 de junho de 2008

Nada é insubstituível

A semana começou muito bem. Terça feira tive o prazer de almoçar com a minha querida amiga Renata Lorena. Linda, inteligente e sensível, ela é responsável pelo marketing publicitário dos canais HBO e Cinemax no Brasil.
Estou escrevendo isso por um único motivo. Há exatamente um ano atrás, ela estava entre os 6 finalistas do programa Aprendiz 4. Infelizmente acabou eliminada.
Para muitos, isso seria um choque, mas pra ela não, sabem por quê? Porque ela vê a vida como um ciclo. A eliminação do programa foi apenas mais uma etapa chegou ao final.
É justamente quando a vida “desmorona” que podemos iniciar uma nova fase. A crise pode ser algo extremamente doloroso, mas em meio a ela temos que saber despertar a força, a esperança, novas perspectivas e o início da vida que você realmente deseja.
Uma situação difícil pode fazer você entender seus mais profundos receios e dúvidas.
Daí a importância de saber quando uma etapa realmente termina. Se insistirmos em permanecer nela mais tempo do que necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que estão por vir.
Temos que aprender a deixar para trás o que já acabou, pois, ninguém pode viver ao mesmo tempo o presente e o passado. É preciso fazer a escolha de onde você quer estar.
A vida não é um jogo de cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, as vezes perdemos.
Feche a porta, mude a musica, desfaça-se de lembranças, siga enfrente. Deixe de ser quem você era, e se passe a ser quem você é, afinal nada é insubstituível.

sexta-feira, 13 de junho de 2008

O que você faz...

O que você faz quando se sente só?
Você ora?
Você chora?
Você ignora? Ou...
Você vai-se embora sem sequer ver se se encoraja e explora o seu vazio?...Os seus verdadeiros porquês, de quês, pra quês?
O que você faz quando sente cansaço?
Murmura e pede um abraço?
Desconta a raiva em seu afetivo laço?
Dribla o seu dia com desembaraço?
Djavan canta que “fica faltando um pedaço”
E eu concordo, senão a todos mordo, senão não sei porque acordo. Senão me entorno.Se não com Deus, com quem se arrisca abrir?
E ao admitir sua inércia, covardia e desconfiança, sua insegurança e acomodação, seu velado tesão...
Já não tem mais argumentos pra se redimir?
O que ainda o faz sorrir?
O que você faz quando não tem pra quem entregar seu coração?
E o que faz com seus sonhos que te cobram?
Que se não forem vividos, te assombram que logo morrerão?
Como coloca-se diante de outros olhares quando o que mais quer é ampliar a sua própria visão?Como perdoa a quem mal te faz, então?
Com esforço e bom ânimo consegue controlar sua impetuosidade e emoção?
Quando se olha no espelho de manhã, você se vê, ou já lhe é habito fugir pra qualquer esconderijo, que não você?
Quando está em seu repouso em vigília, guerreiro(a), como imagina viver?
Do que se alimenta?
O que quer aprender?
Conta-me: o que te faz todos os dias renascer?


Não poderia deixar de publicar. Da querida Babi Xavier.

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Isso é prostituição

Você já reparou como existem pessoas que sabotam o próprio sucesso? Há muita gente que por detestar a empresa onde trabalha e as funções que realiza, faz tudo malfeito e ainda desconta nos clientes a sua insatisfação, prestando um péssimo atendimento.Quando perguntadas sobre os motivos pelos quais agem assim, respondem: “Não gosto de trabalhar aqui”. “Isso é por pouco tempo, logo peço demissão, ou melhor, ganho a conta”. Minha opinião a respeito disso é a de que não importa onde trabalhe, o que faça ou por quanto tempo desempenhará suas tarefas, é dever de qualquer pessoa oferecer o seu melhor. Isso porque, antes mesmo de representar uma empresa, o funcionário representa a si mesmo e a maneira como se comporta diz muito sobre o profissional que é. Pode ser que você esteja insatisfeito com a empresa, mas os clientes não têm nada a ver com isso. E, provavelmente, vão atrelar o mau atendimento a sua incompetência e não a sua insatisfação. Isso é auto-sabotagem. A empresa sai perdendo, é claro, mas você também, pois estará ajudando a construir uma péssima imagem do profissional que é. E, além disso, você, como cliente, já reparou como são chatas as pessoas que atendem mal? Parece que são infelizes, estão sempre de mau humor. Não faça parte desse time de insatisfeitos. Se tudo estiver indo mal, trace um plano para melhorar ou mudar, mas enquanto estiver aí, faça bem-feito pela empresa que representa, pela sua felicidade e pelo seu sucesso.

Da naturalidade

"O homem que vive através da consciência mental torna-se pesado. Aquele que vive com consciência permanece leve. Por quê? - porque um homem que tem apenas algumas idéias a respeito de como se deve viver, naturalmente se torna pesado. Ele se sente obrigado a carregar consigo o seu caráter. Esse caráter é como uma armadura: é a sua proteção, a sua segurança. Toda a sua vida está investida nesse caráter. E ele sempre reage às situações através desse caráter, nunca diretamente. Se você lhe faz uma pergunta, a resposta é pré-fabricada. Esse é o sinal de uma pessoa "pesada" - ela é enfadonha, estúpida, mecanizada. Ela pode ser um bom computador, mas não é um homem. Você provoca e ela reage de uma maneira bem definida. A reação é previsível: ela é um robô. O homem verdadeiro age de maneira espontânea. Se você lhe faz uma pergunta, obtém uma resposta, não uma reação. Ele abre o coração para a sua pergunta, expõe-se a ela, responde a ela..."
Osho - Take it Easy, Vol 1

Texto retirado do Blog da minha amiga Dani Marques - http://roda-gigante.blogspot.com/

domingo, 8 de junho de 2008

“É impossível avaliar a força que possuímos sem medir o tamanho do obstáculo que podemos vencer, nem o valor de uma ação sem sabermos o sacrifício que ela comporta” H. W. Beecher

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Novidade chegando...

Prato preparado pelo chef Renato Caleffi. Logo vou postar onde poderemos saborear esse e outros pratos incríveis preparados por ele. Se resistirem, aguardem!


sábado, 31 de maio de 2008

Aprendizado para vida.

Apesar de o famoso ditado: “Errar é humano, persistir no erro é burrice” ser bastante conhecido, vejo muita gente errando sempre nas mesmas coisas. Mas por que isso acontece, muitas vezes, comigo, com você e com as pessoas ao seu redor?
Na minha opinião, persistir no erro é algo comum porque temos dificuldade para analisar os motivos pelos quais erramos. Se tivéssemos a disciplina de sempre que errássemos, parar e analisar o que aconteceu, poderíamos evitar a repetição de situações não desejadas. E, agindo dessa forma, poderíamos ampliar nosso aprendizado para a vida. Alguma vez você já parou e se questionou quanto aos pontos abaixo:

O que aconteceu? Procure fatos, não opiniões.
O que deu certo? Essa etapa deve ser rápida e sem a emissão de opiniões, se possível.
O que não funcionou? Observe o teor do que é dito aqui. Não se trata do que é certo nem é errado. A questão é se funcionou ou não. É preciso responder essas duas perguntas porque elas sempre coexistem.
O que foi aprendido? (Essa é a pergunta mais importante). Procure os padrões de comportamento ou resultados, não um único incidente isolado.
O que é possível fazer para corrigir o problema ou tirar vantagem da situação? É necessário que essa seja a última pergunta a ser respondida. Caso contrário, você colocará em ação algo que poderá criar problemas além dos já existentes.
Apartir do momento em que a gente entende esse ponto, começamos olhar cada experiência como um aprendizado, e não como uma tragédia.
O que antecede o erro pode ser inconsciente, o que vem depois, jamais.
“Não são apenas nossos erros que nos arruínam, mas o modo como agimos depois de cometê-los” Yvette Gilbert

sexta-feira, 30 de maio de 2008

A difícil tarefa de SER

As pessoas que convivem comigo têm reclamado da minha ausência, com razão, pois, eu tenho andado sumido. O que elas não entendem, é que como todo mundo, eu tenho fases. Quando algumas coisas não estão me agradando, eu não sou hipócrita de mascara-las e fingir que nada está acontecendo. Eu quero entender a situação, porque no fundo, eu quero me entender.
Diariamente tenho contato com muita gente, faz parte da profissão. Neste período, encontro pessoas interessantes, outras nem tanto. Me relaciono bem com todas, não discordo nem bato de frente com ninguém. Opinião, cada um tem o direito de ter a sua. Críticas também não faço mais, creio que expor novas idéias seja muito mais proveitoso do que criticar.
Agora você me pergunta por que de tudo isso? É porque eu quero estar mais próximo do SER e não do TER.
Tenho visto tanta gente vazia, sem conteúdo, “alpinistas sociais” que fazem o possível e o impossível para aparecer. Muitas vezes se vendem. Esse é o grande problema do TER, o conteúdo interior é tão vazio, que você passa ser uma mercadoria, um produto de leilão. Quem pagar mais, leva.
SER, não é tão fácil como parece. É uma tarefa difícil, diária, delicada, feita de pequenas grandes observações do cotidiano, de dentro e de fora da gente.
Quando não damos à devida atenção a essas observações, dificilmente chegaremos a SER, pois, perdemos os parâmetros de comparação. Não sabemos onde estamos, e muito menos onde queremos chegar. Nesse momento eu julgo necessário reservar-me.
Ontem, 29 de maio, na sétima tarefa do programa Aprendiz 5, a participante Andréia foi demitida pela não compreensão da importância da mensagem do último post aqui do blog: Fraqueza. Ela se omitiu quando precisava falar para defender-se e falou quando precisa escutar. Conclusão, quem fala no momento errado, acaba falando o que não deve, e por um detalhe ela foi demitida. Depois passo por aqui para falar mais sobre esse assunto.

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Fraqueza

“Duas coisas indicam fraqueza – calar-se quando é preciso falar e falar quando é preciso se calar” Provérbio persa

domingo, 25 de maio de 2008

Amor e posse.

Nos últimos dias tenho convivido intensamente com alguns casais. Vejo tantos relacionamentos pautados pelo egoísmo, falta de verdade e individualidade que estou confuso. Será que minha forma de entender o amor está errada? Ou será que está certa e as pessoas estão jogando fora a incrível oportunidade de amar?
Eu entendo a força do amor, mas acho que as pessoas estão confundindo esse sentimento ao domínio, a posse.
Amar é entregar-se. Quanto maior a entrega, maior o amor. Eu digo entregar-se no sentindo de se doar, estar ao lado, entender e aceitar o outro (a). E não entregar-se para que a pessoa faça o que quiser de você.
As pessoas estão buscando a posse, mas acho que não estão sabendo entender o verdadeiro sentido da palavra. Fernando Pessoa já dizia “se eu não sou meu, como serei teu, ou tu minha?”
Tem gente esquecendo de “dominar” a própria vida e como resultado disso quer dominar o outro (a). Transferir a responsabilidade.
Será que é difícil entender que o “outro (a)” não é concorrente, é complemento. Não devem concorrer, devem correr juntos. A união é e tem que ser sempre a soma de força e não a soma de sofrimento.

domingo, 18 de maio de 2008

O caminho quem escolhe é você.

Muitas vezes quando não conseguimos obter os resultados conforme havíamos planejado, nossa primeira reação é a raiva. A culpa nunca é nossa e tratamos logo de nomear os culpados. Alegamos que nos dedicamos o máximo, fizemos tudo que era possível e nossos planos não deram certo. Portanto a culpa é sempre do outro (a).
Creio que essa seja uma reação natural do ser humano, até porque retransmitir a responsabilidade é sempre mais fácil do que aceitar o próprio erro ou as circunstâncias da vida.
Muitas vezes estamos mais preocupados com o futuro, com os méritos da conquista e esquecemos do presente, esquecemos que o futuro é construído no presente. Esquecemos que planejar é algo muito diferente de fazer acontecer, pois, deixamos de lado a realização e passamos a acreditar apenas no sonho. E ninguém vive só de sonho.
Precisamos aprender a planejar e agir, e aceitar que o mundo e as pessoas não estão sob o nosso controle. Existem pessoas diferentes, vivendo momentos diferentes, e temos que entender que por mais que a gente se dedique para a conquista de algo, aquele pode não ser o momento certo. Acredito que nesses momentos de “desilusão”, precisamos parar e pensar, pensar muito, se erramos ou não. Se tivermos errado, devemos assumir o erro para não cometê-lo novamente. Caso não tenhamos errado, procurar entender o que aconteceu, e não deixar-se abater pelo momento. Afinal mágoa e rancor só aumentam ainda mais o sofrimento.
Vocês já pararam para pensar que a dor da “derrota” é sempre mais intensa do que a alegria da vitória? Mas isso é assunto para o próximo post.

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Atenção

Como diz minha amiga Dani Marques:

"Cuide para ter sempre em sua vida alguém que exija o MELHOR de você!"

terça-feira, 13 de maio de 2008

Estar em si.

Será que você sabe realmente quem você é? Muitas vezes estamos dando o melhor de nos mas não estamos satisfeitos com o que conseguimos. Isso acontece porque quando não nos conhecemos interiormente, o melhor de nós é muito pobre, muito vazio.Muita gente olha para os filhos, esposa, bens materiais e acha que a resposta está neles. Quando isso acontece, sua imagem perde a referencia, você vira personagem da vida alheia. Começamos a inventar desculpas para nossas impossibilidades.
Você começa a estar em si, quando percebe que tudo na sua vida depende de você, sua felicidade, sua emoção e sua razão.
Estar em si é encontrar paz nos momentos difíceis da vida, é silenciar num momento de incompreensão do outro.
É aceitar e compreender a visão de vida de cada pessoa, entender que todos somos iguais sim, mas com pontos de vista e escolhas diferentes.
Estar em si é não ter medo de demonstrar emoção, não ter medo de chorar quando sentir vontade, com medo que as pessoas achem que você é fraco.
É sentir na alma a decepção, mas ter a consciência de que o mundo não acabou.
É entender que cada experiência é uma nova lição.
É aprender a curtir ao máximo as pessoas que amamos, pois a perda é inevitável. É ter a humildade para reconhecer os erros, e a sabedoria para crescer com eles.
É não cobrar atitude de pessoas que você sabe que não estão preparadas para tal.
É dar uma chance a si mesmo em cada novo desafio, e entender que desafios são degraus de subida e não barreiras que devem ser derrubadas.
É entender que o fracasso não existe, mas sim, que você aprendeu que “aquela” maneira de agir não funciona.
Quem está em si mesmo ama livremente, sem cobranças, protegendo suavemente, sem esperar nada do outro, a não ser sua felicidade.
Quem está em si mesmo, sabe que antes de amar o outro, precisa amar-se.
É saber que não são os outros que lhe magoam, mas sim, que você se “deixa magoar”.
É prosseguir sempre, é crescer sempre, é aprender sempre, tendo a humildade suficiente para enxergar e respeitar as diferenças de comportamentos daqueles que não estão no mesmo caminho.
É saber que apesar de tudo, apesar da hipocrisia de muitos, apesar do medo de amar e ser amado, apesar de muitos prenderem seus sentimentos mais puros em nome da moral e bons costumes, apesar de todas as ilusões que as pessoas enfrentam e vivem, a vida vale a pena sim.
Estar em si mesmo é ter a real convicção da própria vida, da vida das pessoas, do amor que esta envolta dos corações deprimidos procurando uma brecha para brilhar sua Luz e ascender para um novo mundo. O seu mundo!

domingo, 11 de maio de 2008

Um presente especial.

Tenho um amigo muito querido que me escreve textos lindos sobre os mais variados assuntos, mas seu preferido é falar de amor, de relacionamentos e de sensibilidade. Aliás ele anda em busca de pessoas assim na vida. Que sejam sensíveis e não tenham medo de expressar seus sentimentos. Trata-se de um romântico, na idade de ser. Ainda não foi corrompido pelas dores dos amores perdidos, a vida ainda não lhe ensinou a ter que modificar os sonhos, ele ainda está na idade em que planejamos cada passo e conseguimos por em pratica pela simples razão de acreditarmos ser possível. Os encontros e desencontros a que nos submetemos ao longo da jornada ainda não abalou seu fôlego.
Ele escreve muito bem, com a pureza dos que tem carater e o coração aberto.
Embora já tenha começado a entender que num grande número, as pessoas a sua volta foram e continuarão sendo facilmente corrompidas pela sede de ter e não de ser.
Concordo que o mundo está mesmo precisando entender o sentido da palavra “amor”, que as pequenas coisas é que dá o verdadeiro sentido da vida e que estar inteiro é melhor do que ser a metade de alguém.
Ele se pergunta e me pergunta, por que tudo isso?
Porque as pessoas se perdem de si mesmas e em si mesmas? Porque se fecham? Porque param de acreditar? Porque tantas máscaras, porque fogem?
Por medo meu amigo. Medo da dor, que as vezes é uma velha conhecida e gosta de visitas frequentes. O medo da dor paralisa a maioria das pessoas. E a dor em si as desespera.
A maioria delas também corre tanto de um lado para o outro e estão sempre tão sem tempo que esquecem o poder que um abraço apertado, a troca de olhar sincero ou um longo beijo roubado tem.
Te digo que elas tem sim um coração, que tenta entender por que a cabeça teima em sabota-lo tanto, mas nem sempre consegue em tempo.
E o tempo, meu querido, o tempo é o único amigo verdadeiro que temos. Se nele aprendermos a confiar, todas as respostas nos serão dadas. A tempo. De não deixarmos de acreditar, de renovarmos os sonhos mas não desistirmos deles. De entendermos o propósito da dor e não precisarmos mais fugir dela.
E assim seguirmos em frente com o coração já não tão aberto, mais inteiro. E quando for o momento certo estar pronto para amar de novo e se deixar amar, sem pressa, sem satisfações a dar, sem comparações a fazer, sem medo!
Obrigada pelo seu carinho sempre.
Continue buscando, acreditando e sobretudo sem medo de amar!

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Amor-próprio é fundamental.

Quem é o grande amor da sua vida? Pense, por favor, antes de responder. Mas é bem provável que você pense em sua esposa ou em seu marido, em sua mãe, em seu pai, em seus filhos. No entanto, a resposta mais correta, talvez, seja: “Eu”.
É isso: seja o seu grande amor. Amar-se mais é essencial para que você possa relacionar-se bem com os outros, viver melhor e ser mais feliz, tanto na sua vida pessoal quanto na profissional. Há quanto tempo você não compra algo que o deixaria mais feliz, não faz uma viagem, não tira uns instantes para pensar em si? Invista mais em você e em seu relacionamento consigo. Assim, será mais fácil lidar com sentimentos como ansiedade, tristeza e medo.

“Sabemos muito pouco o que nós somos e menos ainda o que podemos ser”Lord Byron