domingo, 25 de maio de 2008

Amor e posse.

Nos últimos dias tenho convivido intensamente com alguns casais. Vejo tantos relacionamentos pautados pelo egoísmo, falta de verdade e individualidade que estou confuso. Será que minha forma de entender o amor está errada? Ou será que está certa e as pessoas estão jogando fora a incrível oportunidade de amar?
Eu entendo a força do amor, mas acho que as pessoas estão confundindo esse sentimento ao domínio, a posse.
Amar é entregar-se. Quanto maior a entrega, maior o amor. Eu digo entregar-se no sentindo de se doar, estar ao lado, entender e aceitar o outro (a). E não entregar-se para que a pessoa faça o que quiser de você.
As pessoas estão buscando a posse, mas acho que não estão sabendo entender o verdadeiro sentido da palavra. Fernando Pessoa já dizia “se eu não sou meu, como serei teu, ou tu minha?”
Tem gente esquecendo de “dominar” a própria vida e como resultado disso quer dominar o outro (a). Transferir a responsabilidade.
Será que é difícil entender que o “outro (a)” não é concorrente, é complemento. Não devem concorrer, devem correr juntos. A união é e tem que ser sempre a soma de força e não a soma de sofrimento.

3 comentários:

Dani disse...

Pois é, Fê! Também vejo cada casal por aí... Mas, relacionar-se é um aprendizado! POSSE realmente não tem nada a ver com AMOR. E o nosso amigo (seu xará) manda sempre umas boas, não?! Só vejo o outro um pouco diferente de complemento, vejo como COMPANHEIRO mesmo, já que cada um é sempre um ser já inteiro! Bjão!

Catarina disse...

Oi Fernando,
Estou retribuindo a sua visita ao meu blog. E o mais estranho ou engraçado disso tudo é que eu acho que eu te conheço de alguma reunião em agências de comunicação! rsrsrs Mas, enfim! Parabéns também pelo blog, é ótimo. Vou te adicionar e voltarei sempre.
Bjo,
Catarina
http://odiariodecatarina.wordpress.com

disse...

Boa noite!
Alguns minutos atrás durante um pausa de leitura deste código que me persegue, parei para ler meus e-mails, e tive a felicidade de ler um texto seu, motivo que me trouxe até seu blog (sim, foi seu texto, e não sua foto, apesar de estar muito bem).
Nesse texto você exprime exatamente o que eu penso, e talvez seja por esse motivo que eu esteja solteira... eu fiquei um tanto quanto curiosa a cada palavra sua, pois você é um homem que me pareceu sensível, não muito comum hoje em dia, e então, por favor, continue a escrever, estarei aguardando.
Beijos e um ótimo final de semana!

Fernanda Cabañas.